Diversidade e inclusão nas empresas: os caminhos para a inovação

diversidade e inovação na TOPdesk
TOPdesk Brasil

TOPdesk Brasil

Há quase 40 anos, os músicos Paul McCartney e Steve Wonder se uniram para cantar sobre a união entre brancos e negros convivendo com a mesma harmonia que as teclas do piano, na canção Ebony and Ivory. Quase quatro décadas depois, o cenário evoluiu, mas ainda está muito longe do ideal, pois as oportunidades de emprego e salários ainda são muito desiguais para negros em função do preconceito presente no Brasil e em grande parte do mundo. No entanto, alguns avanços estão acontecendo e já é possível contabilizar iniciativas importantes no universo do trabalho. 

 

Para incentivar a diversidade e inclusão das minorias no mercado, a TOPdesk criou um grupo específico, denominado Guilda de diversidade. A iniciativa partiu dos próprios colaboradores, quando perceberam que a empresa não era formada por um time tão diverso o quanto gostariam e a virada de chave aconteceu há pouco mais de um ano.

 

Nina Neves - diversidade e inclusão na TOPdesk

Para saber mais sobre o que pensamos sobre o assunto, Nina Neves, responsável pelo recrutamento e seleção na TOPdesk, conta como este processo de mudança está acontecendo nessa entrevista:

TOPdesk: Como aconteceu o processo de inclusão e de promoção à diversidade na TOPdesk? 

Nina Neves: Nós estamos inseridos num contexto de diversidade cultural, pois nossa matriz fica na Holanda. Estamos presentes em 11 países e isso se reflete no nosso dia a dia. No entanto, nosso padrão de contratação não era tão diverso. Uma pulga surgiu atrás das nossas orelhas e começou a perturbar uma série de pessoas, foi quando vimos que algo estava errado. Desta forma, tomamos ações mais específicas para resolver a questãoAplicamos uma pesquisa na empresa e percebemos que o funcionário mais velho tinha 35 anos de idade. Ficamos assustados com essa informação, pois percebemos o quanto nós precisávamos evoluir. 

TOPdesk: O que seria evoluir, nesse caso?

Nina Neves: Nós não estávamos olhando para a diversidade. Além do perfil constante que contratávamos, exigíamos inglês fluente para todas as vagas, até mesmo para os estagiáriosPercebemos que não teríamos como incluir pessoas de origens diferentes desta forma e precisávamos de uma construção interna para mudar este cenário, um projeto que teve início em março do ano passado e continua com a promoção de ações que estão acontecendo e outras que planejamos implementar.

TOPdesk: Qual é a importância deste tema na empresa? 

Nina Neves: Este tema é muito importante para a TOPdesk porque um dos nossos valores é elevar vidas, e temos em mente que um ambiente diverso é mais inovador para nossas operações e na oferta voltada para nossos clientes. A visão do homem branco heterossexual é diferente da mulher brancaque é diferente da mulher preta, e também das pessoas que não falam inglês. Nós entendemos que estas diferenças são necessárias, pois nos auxilia a olhar para diversos públicos de maneira inclusiva, no trabalho diário do atendimento do service desk junto aos nossos clientes. 

Este tema é muito importante para a TOPdesk porque um dos nossos valores é elevar vidas, e temos em mente que um ambiente diverso é mais inovador para nossas operações e na oferta voltada para nossos clientes.

TOPdesk: Quais são os exemplos das iniciativas de diversidade na TOPdesk? 

Nina Neves: De maneira geral, mudamos os nossos critérios de avaliação e percebemos que não podemos perder um talento porque ele não fala inglêsjá que nossos clientes estão no Brasil e em muitos cargos não é necessário falar a segunda língua. Além disso, podemos incentivar os estudos e fornecer informações para auxiliar na capacitação dos colaboradoresOferecemos aulas de inglês uma vez por semana com um professor particular aos interessadosTambém estimulamos a conversa com colegas de trabalho de outras unidades da TOPdesk, e entendemos que a ação é uma oportunidade de desenvolvimento pessoal. Promovemos pequenas adaptações que são importantes para valorizar as pessoas que queiram trabalhar com a gente.

TOPdesk: Como está estruturado o tema diversidade na TOPdesk?

Nina Neves: Pela Guilda de diversidade, formada por 11 pessoas de diversos departamentos. Durante as reuniões deste grupo de trabalho, nós discutimos temas que incluem o engajamento com o público interno, divulgação de vagas, além de determinar metas, avaliar ações e seus resultados. Por exemplo, até o final do ano todas as contratações precisam ter alguma diversidade e nosso foco no momento é contratar ao menos cinco pessoas pretas. Já temos sete, das quais quatro foram contratadas neste ano. Esta Guilda busca ter a característica de diversidade no DNA para promover um quadro mais inclusivo e diverso, com colaboradores alinhados e respeitando todos. 

TOPdesk: Qual é o balanço que se faz desde que o tema foi estruturado na empresa? 

Nina Neves: Os nossos 60 colaboradores sabem se posicionar sobre o assunto e com as ações desenvolvidas internamente tiramos o estigma de pessoas de minorias marginalizadas. Trabalhamos com palestras de pessoas pretas que conquistaram o mercado, palestras sobre letramento racial, o que nos fez repensar pequenas atitudes, mas que podem representar um posicionamento implícito, por exemplo, como o uso da palavra denegrir, que é um termo racista e por isso sugerimos que nas nossas comunicações e conversas essa palavra seja trocada por difamar. Existem ainda projetos voltados para comunidades carentes e também, para a comunidade LGBTQIAP+. Estamos trabalhando com uma consultoria para mapear e nos ajudar a entender como continuar com o nosso posicionamento e quais são as ações que devem avançar. 

TOPdesk: Existem planos de contratação para outras minorias?  

Nina Neves: Sim, existem diversas iniciativas para inclusão aqui na TOPdesk em andamento, pois sempre olhamos o cenário de cada área ou unidade de negócios e como podemos incluir as minorias em cada umComo próximos passos, vamos pensar em um critério por vez e a próxima etapa é o fomento de iniciativas e ações junto ao público LGBTQIAP+ e pessoas maduras.

TOPdesk: Existem diferenças na matriz e na filial do Brasil? Algum país está mais avançado no tema? 

Nina Neves: Eles são mais avançados, por ter mais respeito pelas diferenças, mas a realidade é diferente. Apenas 20% dos europeus são pretos e a inclusão da população LBTQIAP+ no mercado é mais fácil, enquanto para nós trata-se de uma reparação histórica.

Como a cultura organizacional pode colaborar com aos resultados?

Como você pôde ver, diversidade e inclusão são temas cada vez mais trabalhados na TOPdesk. E o nosso cuidado com as pessoas não surgiu agora: cultura organizacional é algo muito importante para nós, pois sabemos o quanto ela interfere na satisfação dos colaboradores e, consequentemente, na entrega de resultados. 

Neste TEDx, nosso fundador e CEO Wolter Smit fala mais sobre o nosso segredo para criar um ambiente de trabalho feliz e saudável.

👉Para saber mais sobre cultura organizacional, tecnologia e service desk,  continue acompanhando nossos conteúdos e siga a gente no LinkedIn!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe este artigo!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on skype
Share on whatsapp

Compartilhe este artigo!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on skype
Share on whatsapp

Artigos Relacionados: